Todos os dias com você!

|54| 3221.0044

Comidas típicas Gaúchas para o 20 de Setembro Part 2: Salgados

O dia 20 de setembro, conhecido como o Dia do gaúcho, é feriado no estado do Rio Grande do Sul. A data recorda o início a Revolução Farroupilha, ou Guerra dos Farrapos, em 20 de setembro de 1835.

Para o Brasil marca a revolta civil mais longa da sua história, que durante 10 anos, conhecido como o Decênio Heroico (1835-1845),  teve como cenário o Rio Grande do Sul, sendo por isso a data mais importante do calendário de nosso estado.

A data ganhou maior destaque e comemoração a partir do momento em que foi decretado feriado no Rio Grande do Sul, de acordo com o Decreto estadual nº 36.180, de 18 de setembro de 1995.

Comemoramos esta data com muita festa, danças, apresentações tradicionalistas e claro, muita comida! Nosso estado possui muitas comidas típicas deliciosas e isso ninguém pode negar, por isso separamos esta matéria em 2 partes, se você ainda não viu a primeira volte e acompanhe receitas de doces tradicionais deliciosos, esta segunda parte das comidas típicas salgadas, deliciosas e simples de fazer. Então vamos lá!!

ENTREVERO DE PINHÃO

A palavra “entrevero” tem origem da língua espanhola platina e seu significado está atrelado á “confusão”, cuja palavra descreve bem o prato que leva uma quantidade enorme de ingredientes e proteínas. Ele é feito a base de pinhão e diversos cortes de carne suína, bovina e de frango. A melhor forma de prepara-lo é em uma chapa ou panela de ferro.

Ingredientes:

  • 2 colheres (sopa) de óleo
  • meia xícara (chá) de bacon picado (50 g)
  • 300 g de lombo suíno cortado em cubos
  • 300 g de alcatra cortada em cubos
  • 2 gomos de linguiça calabresa cortada em pedaços (180 g)
  • 1 cebola média picada (150 g)
  • 2 dentes de alho picados
  • 1 pimentão verde pequeno, em cubos (150 g)
  • 1 pimentão vermelho pequeno, em cubos (150 g)
  • 1 tomate médio sem sementes (130 g)
  • 300 g de pinhão cozido, já descascado
  • 3 colheres (sopa) de molho shoyu
  • 1 pitada de sal
  • 2 colheres (sopa) de cheiro-verde picado

Modo de preparo:

  1. Em uma panela grande, coloque o óleo e leve ao fogo médio para aquecer. Junte o bacon e frite por 5 minutos ou até dourar.
  2. Acrescente o lombo, a alcatra, a linguiça e frite por 15 minutos, mexendo às vezes, ou até as carnes ficarem macias.
  3. Adicione a cebola, o alho, os pimentões, o tomate, o pinhão, Molho Shoyu, o sal e cozinhe por 20 minutos, ou até as carnes ficarem macias.
  4. Retire do fogo, salpique o cheiro-verde e sirva em seguida.

 

Fortaia de Salame

De origem italiana, a fortaia é um prato feito com ovos, muito parecido com a omelete. A diferença é que ela é mais incrementada, já que a versão tradicional conta com o acréscimo de salame e queijo colonial. Para melhorar ainda mais, a textura é bem cremosa. Acompanha polenta e massas, mas também cai muito bem sozinha. Confira a receita!

Ingredientes:

  • 6 ovos
  • 2 xícaras de queijo colonial em cubos
  • 1 salame picado em cubos
  • 1 fio de óleo
  • Pimenta-do-reino a gosto
  • Sal a gosto

Modo de preparo:

  1. Bata os ovos e tempere-os com sal e pimenta-do-reino. Misture também o queijo e o salame;
  2. Aqueça um fio de óleo na frigideira e adicione a mistura. Mexa delicadamente até os ovos cozinharem;
  3. Amasse a fortaia para que ela fique em formato de disco. Aguarde até o fundo ficar dourado.

 

POLENTA MOLE

A receita de polenta é muito mais antiga do que se parece. Há indícios que já na antiguidade, os gregos faziam um prato parecido usando caldo de legumes ou de carne acrescidos de grãos de trigo sacarreno e favas. O prato tornou-se popular também em Roma.
Já a polenta italiana, que surgiu no Brasil, tem como principal ingrediente o milho. Esse cereal surgiu na América Central e era a base alimentar dos povos da época, como os incas, maias e astecas. A maioria dos pratos eram preparados com o cereal, além de assumirem também, um significado religioso: servir de oferenda aos deuses.

Ingredientes polenta:

  • 5 xícaras (chá) de água (1 L)
  • 1 xícara (chá) de fubá pré-cozido (130 g)
  • 1 sachê de tempero sazón
  • 1 colher (chá) de sal

Ingredientes Molho:

  • 1 colher (sopa) de óleo
  • 1 dente de alho espremido
  • meia cebola pequena picadinha (50 g)
  • 2 xícaras (chá) de polpa de tomate (400 ml)
  • 1 pitada de sal

Modo de preparo:

  1. Em uma panela grande, coloque a água, o fubá, meio sachê de tempero sazón e o sal, e leve ao fogo alto para ferver. Cozinhe, mexendo sempre, por 5 minutos, ou até encorpar. Retire do fogo, transfira para um refratário pequeno e mantenha aquecido.
  2. Em uma panela média, coloque o óleo e leve ao fogo médio para aquecer. Junte o alho e a cebola, e refogue por 2 minutos, ou até a cebola murchar. Acrescente a polpa de tomate, o tempero sazón restante e o sal, e espere ferver.
  3. Retire do fogo, regue a polenta e sirva em seguida.

 

COSTELÃO

A história diz que a costela de fogo de chão surgiu nas fazendas antigamente, onde os patrões matavam o gado para consumo próprio e pegavam para si as consideradas carnes nobres (picanha, maminha, alcatra, file mignon…) e entregavam aos peões as costelas, carnes consideradas não nobres e difíceis de assar ou usar no dia-a-dia. Os peões, enquanto cuidavam do gado do patrão, fazia um buraco no chão, cravavam a costela em lanças de pau e deixavam assando ela por horas e horas apenas temperada com sal grosso (muitas vezes utilizado para alimentar o gado), enquanto trabalhavam, tomavam um mate e proseavam (conversavam). E assim surgiu um dos mais bonitos e gostosos costumes.
O segredo da costela no fogo de chão é que geralmente a carne perto do osso, quando assada, fica muito saborosa. O problema é que a carne da costela em geral é mais dura que a do resto, tornando o mastigar mais difícil, mesmo que mais saboroso do que muitas carnes nobres. Então, para amaciar a carne, nada melhor do que ao invés de assa-la diretamente no fogo, faze-la cozinhar no calor. Por isso a costela é geralmente colocada de pé entre duas fogueiras, pois assim o fogo não bate diretamente nela, e ela assa apenas com o calor vindo das duas fogueiras nos 2 lados

Ingredientes:

  • Sal grosso a gosto

Modo de preparo:

    1. Salgue a costela com pouco sal, salpicar toda ela para não precisar tirar o excesso depois de pronta

    2. Para 5 kg 100 g de sal

    3. Fazer a braseiro com boa caloria para assar com fogo forte

    4. Colocar a costela com a parte do ossos para baixo por meia hora

    5. virar e deixar por 20 minutos para aquecer a parte da carne e gordura da costela

    6. Virar e deixar assar por 2 horas com fogo que asse, quer dizer forte por 2 horas

    7. virar novamente e deixar ela assar o lado da carne e secar um pouco a parte da gordura.

    8. Pronta para servir e a costela vai estar assada e não cozida como as costelas que ficam dormindo por 12 horas no fogo.

    9. Acompanhamentos: salada de folhas com cebola e tomate, pão, mandioca ou maionese.

 

VACA ATOLADA

Sua origem vem das antigas comitivas boiadeiras, onde era comum os peões levarem a carne mergulhada na gordura, garantindo assim, sua alimentação por um bom tempo, no caminho colhiam mandioca para mais tarde ser misturada junto com a carne

Ingredientes:

  • 1 kg de costela bovina
  • 500 g de mandioca cozida, sem o fio do centro
  • Alho, cebola e sal a gosto
  • Cheiro verde

Modo de preparo:

  1. Em uma panela de pressão frite as costelas em óleo até estarem douradas de todos os lados.
  2. Coloque o alho amassado e frite um pouco, em seguida frite a cebola, em fatias ou picada, como preferir.
  3. Acrescente bastante água, salgando a seu gosto.
  4. Cozinhe as costelas até que os ossos se soltem da carne, aproximadamente 40 minutos depois que pegou pressão.
  5. Retire as costelas, separando e descartando os ossos.
  6. Passe o caldo para uma panela grande.
  7. Acrescente a mandioca cozida e espremida, sem aquele fio que fica no meio.
  8. Coloque a carne e deixe cozinhar em fogo baixo por 15 minutos.
  9. Se ficar muito grosso, coloque mais água.
  10. Não pode ficar com o caldo nem ralo nem espesso demais.
  11. Salpique com o cheiro verde no momento de servir

 

Eai o que acharam dessas delicias típicas da nossa região? Qual a sua preferida de todas?
Preparem tanto as salgadas quanto as doces da part 1 e nos conte nos comentários como ficou.

Fontes:
https://www.tribalpepper.com.br/post/entrevero-de-pinh%C3%A3o
https://www.saboresajinomoto.com.br/receita/entrevero
www.receiteria.com.br/receitas-de-fortaia/

Um prato consumido por todo o Brasil, a polenta


https://www.saboresajinomoto.com.br/receita/polenta-mole

A história da Costela Fogo de Chão


https://cybercook.com.br/receitas/carnes/receita-de-costelao-17231

 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

INSPIRE-SE MAIS